terça-feira, 2 de dezembro de 2008

30...40

Quando eu tinha uns 28 anos, queria fazer logo os famosos 30 anos, pra ver se as pessoas me respeitariam mais. Pois foi me dando conta de que faria 30 anos que comecei a entrar na "crise dos 30".
.
Eu estava bem no meio do caminho. Ficava parada olhando para trás e pensando "o que foi que eu fiz até hoje da minha vida?" daí virava a cabeça e olhava pra frente "o que eu irei fazer com a minha vida daqui pra frente?".
.
Não é fácil! Confesso que o desespero e a tristeza várias vezes tomaram conta das minhas idéias.
.
Quando tinha uns 15 anos, pensava que aos 30 eu teria minha própria casa, minha própria família, filhos, seria uma profissional exemplar, mãe exemplar, esposa exemplar, tudo exemplar.
.
Quando cheguei aos 30, estava meio solteira, meio enrolada, sem filhos e sem querê-los naquela fase da minha vida, sem casa própria, sem todos os móveis que eu imagina que teria, sem uma profissão deifinida, sem o emprego dos sonhos. Pirei!
.
Depois que passou essa fase mais neurótica, digamos assim, me dei conta de que não havia diferença. Que essa linha da vida que chamamos de "os 30 anos" é, na verdade, muito tênue e que continua tudo igual, a vida segue. Como diz o meu irmão "a fila anda". Não há motivos pra se preocupar com o que se fez até ali - já está feito mesmo - nem com o que se vai fazer com o resto - tem que fazer de qualquer forma -.
.
Passado algum tempo... uns 10 anos mais ou menos, percebo agora que existe outra marca importante de transição na vida. Os 40!!!! E aí é que a coisa aperta! 40 é um número que dá medo (pra quem ainda não chegou lá, óbvio). E a gente vai percebendo que não tem mais a mesma vitalidade, o mesmo fôlego, a mesma elasticidade (não que não se tenha, tem sim, só que em escalas diferentes dos tempos da "crise dos 30"). Começa a ter redução disso e daquilo, aumento considerável daquele outro. As aflições que antes eram apenas emocionais começam agora a atingir, principalmente, o corpo. Sim, eu estou entrando nos 40, meu corpo agora já tem quase 40 anos de uso!!!! De bom uso na maioria das vezes, pelo menos!
.
Aquela crise emocional de "será que tenho filhos agora ou não" muda para a pergunta física "será que posso ter filhos agora ou não". A tentação de comer um chocolate a mais e ter que fazer ginástica depois para eliminá-lo se transforma na quase certeza de que esse chocolate ficará muito tempo fazendo parte da sua barriguinha daqui para frente.
.
Vendo assim, parece que estou sendo pessimista demais ou vendo somente o lado negro de se ter 40 anos. Não é nada disso. Até porque ainda não tenho. Faltam 2 anos e meio para isso acontecer. Essas são só considerações de quem está trilhando essa caminhada rumo ao "enta".
.
Tem também o fato de que sou indepente, agora tenho a casa mobiliada, posso escolher a quem vou dedicar o meu amor, saio livremente e sou dona do meu nariz, minhas ações e emoções são muito mais importantes do que qualquer celulite metida à besta que queira aparecer neste corpinho. Aliás, EU sou a dona do meu corpo e não o contrário.
.
Tenho luz própria que todos esses anos vividos até agora me proporcionaram.
.
Se eu pudesse escolher voltar no tempo e ter 20 e poucos anos agora ou continuar daqui, não teria dúvidas: continuaria firme e forte. Porque só passando por todas essas etapas é que podemos chegar ao ponto onde estamos e cabe somente a nós fazer com que esse ponto - também chamado de HOJE - seja um momento bom e feliz da nossa existência.
.
E também não me preocupo mais, porque dizem por aí que a vida só começa depois dos 40!
.

4 comentários:

Kety disse...

Ai... não vou nem pensar por que sou anciosa, hehehehe
Me mudei este final de semana e estou ainda no meio da bagunça, por isso ando ausente, porém estou muito contente pois meu ap antigo tinha muito mofo e infiltração, este é bem sequinho.
E vc como anda?
Qualquer hora entro no msn para conversarmos!
Beijão, fica com Deus.

Zú Leide disse...

Lily..
crises, ou melhor indagações sempre vão existir..
acho q todo mundo passa por isso ..isso q vc falou, ou melhor escreveu tb passei e continuo passando..
só q eu lá pelos 30 já morava sozinha, qdo cheguei aos 39 anos achei q tava tudo blz, tinha um apto mobiliado, trabalhava em algo q gostava tinha um bom salario, viajava bastante a serviço, pude conhecer todo interior de MT, Rondonia e Rio Branco no Acre, fiz algumas viagens fora, Fortaleza, Recife, Sta Catarina..achava q agora o barco só ia, q nenhuma tempestade iria encontrar ao longo do caminho..
e ai sem + nem - um dia veio um temporal, um diluvio e meu barco afundou e acabei sem rumo, e com eles todos os sonhos de uma vida a dois, um emprego estavel, ñ sabia como recomeçar...afinal foram tantos anos de luta p/ chegar até aquele lugar?
e ai?
depois de chorar tudo q tinha chorar, resolvi arregaçar as mangas e começar tudo de novo..
e já se passaram 6 anos desde então, e confesso ñ obtive grandes progressos, a ñ ser o fato q continuo viva e q cada dia q amanhece agradeço a Deus por + um dia, mas continuo me questionando e agora estou chegando aos 50 e retrocedi no tempo?
e procuro adquiri forças e viver um dia, após o outro e crer q DEus está me reservando algo de muito bom!
e tentando aprender com meus erros, pena q a gente demora tanto p/ aprender..e a tal da experiencia vem junto com dores de coluna, no ciatico e por ai vai..
mas quem disse q ñ viemos aqui p/ aprender?
então é por ai...continuo tentando e aprendendo.

Renata Moni disse...

Simplesmente fantastico este texto!
adorei passar por aqui!
bj

Grazi disse...

Olá!

Que bom ter a sua participação na troquinha! Fiquei muito feliz mesmo!!!!
Vi que vc também é gaúcha .... de qual cidade vc é??? Eu sou de São Leopoldo .....

Bjus e um ótimo dia pra vc!!!!

Visitas desde 25/05/2009