sábado, 29 de novembro de 2008



Esse é um dos meus mega projetos. Um quadro de cadeiras.

Comecei no dia 10 de março de 2008, sem prazo para término. Como trabalho com vendas, sempre tenho prazo para bater minhas metas e decidi, então, que no ponto cruz não terei prazo!

Pensei em fazer um desenho por mês, só pra ter uma base. Estou com 9 desenhos prontos, to no lucro! Só que contei e são 43 desenhos, ouseja, 43 meses, ou seja, quase 4 anos!!! Ta louco!

Vamos ver! Não tenho pressa de terminar. Aos poucos vou chegando lá. Às vezes enjoo, daí largo de mão, faço um tricozinho básico, não faço nada, pego o bordado denovo, daí largo, daí saio de férias, pego denovo, largo denovo e assim vou.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Resposta pra Zu = como eu tenho tempo para fazer tricô

Oi, Zu!!


Pois é... sobre o tempo pra fazer tricô... Não é muito não, mas a gente tem que se policiar!


Este ano decidi fazer tudo oque eu queria fazer!



Na verdade, depois de me separar, mudar de cidade, trabalhar, trabalhar, ir ao fundo do poço, voltar dele, trocar de emprego 2 ou 3 vezes, me apaixonar, levar o fora, ir ao fundo do poço denovo, voltar dele denovo, trabalhar, trabalhar, mudar para uma cidade pequena do interior, alguma terapia, florais, aula de yoga, caminhada, um amor novo na minha vida, trabalhar, trabalhar, viagem para a Africa do Sul, troca de emprego denovo... ufa! tanta coisa!, fui me dando conta de que tinha me deixado pra traz.

Tinha deixado de saber das coisas que gosto, tinha deixado de dizer "não" quando não queria algo, tinha deixado de lado todas as coisinhas que gosto de fazer pra me divertir. Tudo isso, porque estava envolvida demais com o trabalho, envolvida demais em agradar os outros, para não deixar de ser amada. Baixa auto-estima, é o nome disso. Fui me abandonando devagarinho, daí não me dei conta.

Quando tudo isso ficou de um tamanho tão grande que eu já não conseguia mais sustentar, entrei em crise (foi ali na época da terapia e dos florais) e fui atrás daquela eu que eu conhecia, mas que tinha abandonado em algum lugar por aí.

Levei uns 2 anos me procurando e confesso que ainda estou na fase do encontro. Fui a muitos lugares atrás de mim. Fiz muitas coisas pra ver se me achava. Muitas vezes foi tudo em vão.

Até que um dia, não sei mais qual foi o dia, percebi que eu estava ali o tempo todo: dentro de mim, era só eu me olhar de verdade, me amar de verdade, me ouvir de verdade. E foi então que comecei a tomar decisões e levá-las adiante.

Decidi me ouvir, decidi amar o homem que me ama, decidi voltar a fazer tricô, decidi continuar meus bordados, decidi me dedicar aos estudos novamente, decidi ter tempo pra curtir a minha casa, decidi fazer o trabalho ser uma fonter de prazer e não de sofrimento, decidi fazer o meu tempo do jeito que for mais conveniente pra mim sem desrespeitar os outros, mas principalmente, sem desrespeitar a mim primeiro. Decidi me amar!!!!!

Isso tudo é um processo, no qual ainda estou e do qual nunca mais quero sair!!!!

É fácil a gente se perder da gente, mas temos que saber que é só olhar pro nosso coração que vamos estar lá. Sempre!

Por isso, consigo fazer um tricozinho de vez em quando, e fazer coisas como aquele lindo tapetinho azul.

.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Os meus presentinhos!!!!

Essa arvorezinha fofa de Natal foi um repsentinho da Kety. Já tá lá junto do meu presépio!! Eba!!
A bonequinha azul de crochê já está bem amiguinha dos meus outros bibelôs!! hehehe


A estrela do mar de tricô guarda com muita tranqüilidade meus pincéis de maquiagem!



A touquinha já está pronta pra ir pra mala de viagens, pra passar o inverno americano aquecendo minhas idéias e a bolsinha de maquiagem já está na minha bolsa desde o dia que chegou!!


E aqui todos os mimos que ela me mandou.


Obrigada, Ketyyyyy!!!!!!.........
.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Postagem para a Kety

Tive que parar de fazer tudo o que eu estava fazendo só pra vir escrever aqui.

Acabei de receber os presentinhos da Troquinha de Natal que participei. A primeira, aliás. Eu não imaginava que seria assim.

A - M -E - I !!!!!

Recebi da Kety, http://noitedaluablog.blogspot.com/ , que mora bem longe de mim, um monte de coisinhas liiiiindas que ela fez e comprou pra mim!!!

Olha, querida, eu realmente não tenho palavras pra descrever a emoção que senti ao abrir aquela caixa. Podes ter certeza de que senti todo o carinho que veio junto com ela!!!!

Obrigada, querida!!!!

Quando eu era criança, não existia internet, nem telefone celular, nem telefone sem fio! Pra vocês verem a idade da pessoa!!! hehehehe

Naquela época, existiam certos programas, digamos assim, em que a gente trocava o número de telefone com outras pessoas e fazia amizade.

Hoje em dia isso também existe, mas é coisa pra arranjar namorado. Lá em mil novencentos e guaraná com rolha, a gente ligava pra conversar e fazer amizade só.

Lembro que eu sempre tinha umas amigas bem de longe que eu conhecia somente por telefone (pra desespero do meu pai - porque a conta do telefone já era bem cara naquela época). Mas era um sentimento muito bom conhecer gente sem conhecer de fato, sem ver a cara, se era gordo ou magro, preto ou branco, alto ou baixo. Era uma amizade bem sincera. Não que as amizades que a gente cultivava na escola não fossem verdadeiras, eram sim, mas elas não estão em questão na pauta de hoje.

Bom, e falando em hoje, 2008, temos toda essa modernidade de internet, modem 3G, laptops, e tantas outras coisas que nem sei o nome, que, mal usadas, nos afastam do mundo real para prender-nos no mundo virtual.

Mas falando de hoje mesmo, 19 de novembro de 2008, só posso descrever um sentimento muito bom que tive logo ao ver aquela caixa chegando do correio, que me fez lembrar de quando eu gostava de fazer novas amizades num mundo que, lá no passado, já era virtual. Esse sentimento tão bom, me fez ver que esse mundo virtual pode, sim, nos aproximar muito das pessoas. Ele transportou aqui para a sala da minha casa uma pessoa que conheci no teclado e na tela do meu computador e que, daqui para o futuro, ficará registrada com muito carinho em meu coração.

Agora, será a minha vez de retribuir todo esse carinho e me fazer presente lá na casa dela também.

.

domingo, 16 de novembro de 2008

Tapete pronto



Olha como eu sou uma menina aplicada!!! Já terminei o tapetinhodo banheiro!!! Nem demorei! Aliás, já faz 15 dias que terminei!!!
Viu, Karina?!!!! Ficou liiiindo! hehehehe Obrigadapela linha! Já fiz outras coisinhas também, com a mesma linha! Durantea semana eu publico.
Bjs....

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

O começo

Outra que escrevi faz teeeeempo!
Escrevi no meu caderno, a mão, de lápis!



O começo
6-7-2004

Vou começar a escrever de lápis, porque qualquer erro que venha a cometer posso corrigir-me na mesma hora.
Fico pensando se seria bom podermos escrever nossa vida a lápis, para não deixar rasuras no caminho, ou se, na verdade, justamente a escrevemos de lápis, porque sempre temos a oportunidade de apagar alguns erros, escrever novamente, todos os dias, recomeçar um capítulo podendo corrigir o que não foi bom no anterior.
Já perdi a conta de quantas vezes repeti diante do espelho: “hoje vai ser diferente”. E na maioria das vezes foi, mas todas às vezes preciso me lembrar disso, de que eu sou a responsável para que algo realmente saia diferente. E cada dia que passa me ensina que cada manhã é um recomeço e que, como cada novo minuto, posso ser o que quiser, escrever minha história de maneira diferente ou simplesmente ser exatamente igual ao que fui ontem - o que nunca escolho, porque, como cada célula do meu corpo, sou um ser em eterna construção.
Algumas coisas são imprescindíveis que se escreva à caneta, Algumas precisam até de negrito, mas, o melhor de tudo, nessa nossa existência tão complexa, é poder, sempre, escolher a maneira de escrever nossa vida que mais se adapta a cada um de nós e poder sempre corrigir os nossos erros e enganos.
No final das contas, não precisei apagar quase nada do que escrevi.

domingo, 9 de novembro de 2008

Saudade do meu amor!


Ele reclamou que não escrevi no blog que to com saudades dele. Tolinho!

O que mais faço aqui é sentir falta do meu amor do lado.


E um pouco de injustiça também, porque to sempre deixando recados - unica e exclusivamente pra ele - por todos os cantos, dizendo que to com saudade!!


Enfim... to com tanta saudade de voltar pro MEU AMOR, pras minhas coisas, pra minha família, enfim, pra minha vida, que até passei mal dia todo hoje!


Mas saudade é pra quem sabe sentir.... ainda bem que tenho todas essas coisas pra poder sentir saudades!!! Que feliz que eu sou!


Te amo, Ricardo! E estou sim, com muuuuuuuuuuuuuuuuitas saudades!...


.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008


Nossa! Parece que to brincando de casinha aqui nesse hotel. hehehehe


É um quartinho bem pequeneninho, como o vô da Marina fala (e não é a minha sobrinha, é outra Marina) " a gente não precisa nem sair da cama pra escovar os dentes" hehehe de tão pertinho que a pia é da cama. Mas é legal.


Trouxe meu chimarrão, térmica, rabo quente (pra quem não sabe, é um aquecedor de água que se põe direto dentro da térmica), comprei uma caneca, peguei a colherinha do café da manhã (é de plástico, viu? descartável) e faço sopinha de minuto pro jantar. Daí fico aqui, na internet, tomando um chima e ouvindo TV, que fica bem em cima da minha cabeça.


Bom, como estou navegando na internet, achei uns sites com fotos de gatos e cachorros e me deu saudade das minhas duas fofas que estão lá na casa da vó. Daí resolvi postar uma fotinho delas, até porque eu tava devendo pra "Gata Lili", um site que acompanho.


Ta aí!


quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Gracias a la vita

Estou aqui em São Paulo, em plena Avenida Paulista, tomando um chimarrão, ouvindo a novela das oito (mas não se engane, já são 21h13min) e olhando meus e-mails.

De repente abri um power point que a Mariza Mallmann me enviou, com um texto lindo e imagens de Pablo Picasso com essa música "Gracias a la vita", cantada por Mercedes Soza (não sei escrever o nome dela - hehehe).

Nossa! A primeira coisa que me veio à mente foi a imagem do trio "Unamérica", cantando essa música em algum bar de algum sábado à noite, em mil novecentos e guaraná com rolha, como diz o meu irmão. Foi um sentimento gostoso. Trouxe boas lembranças.

Depois, veio um sentimento de gratidão, pela minha vida, como a música diz. Gratidão pela minha família, meu amor, meus amigos, meu trabalho, por ser quem eu sou, por estar onde estou, por tudo!!!!

!Gracias a la vita!

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Todo dia

Esse texto escrevi dia 13-10-2004, mas está bem atual!

“Todo dia ela faz tudo sempre igual...” assim diz aquela música famosa.

Não concordo muito com isso. Por mais que façamos as mesmas atividades todos os dias (o que chamamos de rotina), nunca um dia é igual a outro. E isso é o que nos dá esperança e vontade de seguir adiante.

Saber que podemos fazer diferente, começar de novo e de novo e quantas vezes forem necessários, mudar o caminho para o trabalho, pegar um ônibus diferente, pentear o cabelo para o outro lado, usar azul hoje, vermelho amanhã.

Saber que falamos uma baita bobagem há 5 minutos e que, por isso, ficaremos de “bico calado” na próxima meia hora.

Deixar um baita furo hoje e amanhã ficar quietinho para reconstruir a boa imagem.

Comer demais no jantar e só tomar um copo d’água na manhã seguinte.

Chorar até pegar no sono e amanhecer sorrindo, pois um novo dia está ali, cheio de oportunidades.

Começar tudo de novo. Todo dia. Sempre diferente.

Visitas desde 25/05/2009