sexta-feira, 30 de julho de 2010

Alguém já mexeu no seu queijo?

Mais um que escrevi em 2005...


13-1-2005
Queijos
Foi lendo o livro “Quem mexeu no meu queijo, de Spencer Johnson, que entendi o que acontecia comigo: alguém havia mexido em meu “queijo” e era preciso abrir mão dele e partir para uma nova vida, um novo objetivo, um novo amor, um novo “queijo”.
Segundo Johnson, cada um de nós tem o seu “queijo”, o seu objetivo, seja um emprego, um amor, um caminho, e precisamos sempre estar atentos quando essa situação se acomoda e a perdemos de uma hora para outra.
Seguidamente somos surpreendidos pela ausência súbita daquilo que acreditamos ser nosso eternamente. E isso nos paralisa, prende, cobre nossos olhos com uma névoa de ilusão. Ilusão de que tudo não passa de brincadeira, de que logo aquilo que nos foi “roubado” voltará para nós num piscar de olhos. Ficamos presos junto à idéia de que somos injustiçados e não vale à pena seguir adiante por um novo rumo, ter um novo objetivo, um novo amor, um novo emprego, um novo “queijo”.
Contudo, é necessário abrir mão de algo e seguir em frente, com fé. Novos caminhos são capazes de nos trazer coisas que já não imaginávamos mais ser capazes de realizar.
Novas perspectivas desafiam nossas ações e nos gratificam com realizações surpreendentes. Mas é preciso ter coragem, persistência e fé. Acreditar sempre, desistir nunca.
Identificação de mudanças, ação e flexibilidade, como nos diz Johnson em seu livro, são as ferramentas que devemos usar para não sermos pegos despreparados quando nosso “queijo” tiver que ser movido, para não cairmos no desespero que a súbita mudança involuntária de nossa vida nos causa, quando não percebemos os sinais dessas alterações.
E, por fim, com o livro vi que é mais seguro ter consciência de nossas verdadeiras escolhas do que nos isolarmos numa zona de conforto.

2 comentários:

Déia disse...

E como kkkkk

a gente tem q viver de olho no nosso queijo, ou vem alguem e nos passa a perna kkkkk

O importante tb é saber a hora de abandonar o velho queijo e ir em busca de novos sabores kkk

bj

Nika disse...

Olá. Uau, eu li esse livro, amei. Pois me vi em várias situações. É algo para lembrarmos sempre, não é? O nosso queijo é mexido o tempo todo, e a nós - somente nós, podemos ter a sabedoria de enxergar o que se passa - e além de tudo, as atitudes a serem tomadas. Adorei o seu Post. ABraço,Nika:)

Visitas desde 25/05/2009